segunda-feira, outubro 06, 2008

Uma questão de pires

Não és pires para a minha chávena…. Embora interessante, este conceito é bastante assustador. Nasceu numa boa tarde na esplanada do C2 quando a sra do bar me deu um pires pequeno demais para a base da minha chávena. Teorias ao despois, chegámos (eu e o zé) à conclusão que ai estava a explicação para o mal de amores que se sofre pelas nossas bandas: andamos todos a escolher mal os nossos pires…tudo isto porque andamos a tomar aquelas coisas que nos mexem com as hormonas (alguns de nós não é …). Essas coisas não nos deixam encontrar o homem da nossa vida, porque as nossas hormonas andam todas dopadas, em vez de escolher o melhor pool genético (o melhor pires), andamos todas encantadas com pires que efectivamente não nos servem. Penso que está na altura de nos deixarmos destas coisas e começarmos a escolher os pires com consciência, basta de pires que não nos assentam, basta de chávenas desemparelhadas, vamos todo praticar a boa arte do erotopires, a procura do pires ideal para a nossa delicada chávena.
Se alguém conseguir praticar eficazmente esta arte milenar que deixe aqui a sua posta, pois necessitam-se de encorajamentos para que nós continuemos a nossa malfadada procura.

1 comentário:

Firefly disse...

Portantos, erotopires rula. Sinceramente. Bah! Nao me kero ir embora! =( amanha tou na escolinha pa te azucrinar a mioleira

yey